P18
Saúde, estado e moralidades: antropologia em contraponto (PT/ES)
Convenors:
Rosamaria Carneiro (Universidade de Brasília)
Sílvia Guimarães (Universidade de Brasília)
Location:
A2.13, Reitoria/Geociências (Map 10)
Start time:
11 September, 2013 at 9:30
Session slots:
3

Short abstract:

Este painel busca refletir sobre a produção antropológica no campo da saúde ao longo da história e da atualidade da antropologia, tendo por pauta a produção de moralidades. Para tanto, discutirá a produção da ideia de saúde em múltiplas instâncias e agentes

Long abstract:

Os Estados apresentam uma moral que atua por meio de disciplinas e de autoridades, das quais o todo social está investido com relação aos seus membros. Nos dizeres de Michel Foucault, em "Em defesa da sociedade" (2002), tratar-se-ia da "biopolítica", ou seja, do controle dos corpos de muitas cabeças em nome da perpetuação da soberania. Nesse jogo, a produção discursiva da noção de saúde tem destaque, quando consideramos que "para fazer viver e deixar morrer", o Estado tem editado políticas públicas nacionais e partilhado de programas internacionais de proteção e de promoção à saúde. Nesse contexto, esses Estados acionam mecanismos de controle que provocam o surgimento de conflitos advindos de ideologias nacionais e de demandas por direitos étnico, raciais e de gênero, em diversas partes do mundo. Entretanto, ao mesmo tempo, observa-se os sujeitos no interior do Estado recriarem sociabilidades acima desses processos moralizadores e disciplinadores em suas vidas cotidianas, buscando "cuidar de si" e em nome da autonomia. A proposta deste painel é discutir como se dá a dinâmica de interação entre os processos de moralização estatal e as redes de sociabilidades criadas como micro movimentos que buscam afastar as fronteiras de dominação, conjugando trabalhos que contornem o campo da antropologia da saúde, de forma a problematizar, em última análise, o próprio campo do fazer antropológico em saúde, seus referenciais e tendências contemporâneas.