P23
Antropologias da saúde pública
Convenors:
Rubens Adorno (University of São Paulo)
Luís Fernandes (Fac Psicologia e Ciência das Educação U.P.)
Location:
Sala 3, Ciências Veterinárias (Map 30)
Start time:
9 September, 2013 at 9:30
Session slots:
3

Short abstract:

A relação entre antropologia e saúde pública é histórica. A proposta desse painel é discutir as diferentes interfaces desse campo tomando - o como uma construção biopolítica que esta sempre a dialogar com a antropologia.

Long abstract:

A relação entre antropologia e o campo da Saúde Pública, tem em sua história um conjunto amplo de questões teóricas, temáticas e metodológicas, que dão conta desde relação entre os limites do humano, à concepção de sanidade, com temas tais como raça, sexo, nação, família, espécie, individuo. Em outros sítios focalizaram-se questões compreensivas das diferenças e da experiência humana, na interface da construção da subjetividade, do corpo e da doença. Ou seja, nesse campo biopolítico por excelência emergem as questões clássicas de natureza e cultura, sexualidades e reprodução às propostas e limites de intervenção sobre a vida contemporaneamente expressas nas chamadas políticas da vida. Por outro lado assim como na antropologia, assistimos hoje uma crise no próprio campo das representações sobre saúde que dão conta desde as diversas práticas que tem como alvo populações ditas vulneráveis ou marginalizadas; as políticas de redução do estado de bem-estar social e o contraponto da saúde como um campo no qual se intensificam as práticas de intervenção corporal, como do consumo de medicamentos e psicoativos no domínio da transformação do corpo, das emoções e da subjetividade. E por fim ocorre a necessidade de reflexão sobre os próprios estudos antropológicos e etnográficos que são utilizados nas pesquisas na área da saúde, como ilustração do que vem sendo chamado de "estudos qualitativos" complementares e portanto legitimadores da produção de uma ciência baseada em critérios quase que puramente estatístico.