P45
Símbolos nômades: usos e apropriações da antropologia pelas ciências sócio humanas (PT/EN/ES)
Convenors:
José Ignacio Monteagudo Robledo (Universidad Nacional de Educación a Distancia)
Manuel González de Ávila (University of Salamanca)
Andréa Pavão (Universidade Federal Fluminense de Angra dos Reis)
Discussant:
Andréa Pavão Bayma
Location:
Sala 3, P 2 (Map 26)
Start time:
9 September, 2013 at 9:30
Session slots:
3

Short abstract:

O objetivo deste painel é a reflexão sobre os limites e possibilidades das experiências interdisciplinares que envolvem os conhecimentos antropológicos e têm, como público alvo, tanto antropólogos quanto pesquisadores de outros domínios científicos.

Long abstract:

A cultura como conceito em processo de permanente revisão, a prevalência das abordagens micro sociais, o trabalho de campo como metodologia privilegiada, o fascínio pela diversidade e pela alteridade, a crítica ao etnocentrismo e o sedutor discurso do relativismo cultural, entre outros aspectos que delimitam os contornos identitários do campo antropológico, têm influenciado notadamente a pesquisa da maioria das disciplinas acadêmicas voltadas para as relações entre o homem e a sociedade. Em meio a esta efervescência interdisciplinar, acreditamos que caberia um recuo crítico para a reflexão sobre o rendimento destas experiências. A interdisciplinaridade tornou-se praticamente obrigatória apesar da dificuldade de avaliação do rigor científico de seus resultados. E, assim como campos disciplinares diversos se apropriam do constructo antropológico, também a prática antropológica -seja no plano da pesquisa empírica, seja no amplo espectro da aplicação teórica de seus conceitos - não é mais possível senão em diálogo com outras tradições disciplinares. O presente painel se apresenta como um espaço de troca entre antropólogos que atuam em campos fronteiriços e pesquisadores de outras áreas que trabalham com antropologia, ou com abordagens antropológicas ou de tipo etnográfico. O objetivo geral deste painel é justamente discutir os limites e possibilidades destas múltiplas apropriações interdisciplinares que envolvem os conhecimentos antropológicos.