Accepted paper:

A Gramática Costumeira da Relação com a Terra: posse e propriedade no Sertão e no Meio-Norte, Brasil.

Author:

Emília Godoi (UNICAMP)

Paper short abstract:

Com base em material etnográfico recolhido em dois contextos rurais brasileiros, o trabalho proposto pretende analisar como as noções de posse e propriedade aparecem nos discursos e nas práticas de homens e mulheres e em que essas noções incidem sobre o conjunto de direitos em relação à terra.

Paper long abstract:

A partir de uma perspectiva comparativa, o trabalho proposto pretende analisar como as noções de posse e propriedade aparecem nos discursos e nas práticas de homens e mulheres em dois contextos rurais brasileiros distintos e em que elas incidem sobre o conjunto de direitos em relação à terra. Um dos contextos é o Sertão nordestino, em relação ao qual a pesquisa etnográfica revelou um "sistema de direitos combinados", ancorado nas noções de posse e propriedade e no pertencimento a um "tronco familiar". A outra situação etnográfica se encontra na Amazônia Oriental, no Meio-Norte brasileiro, onde também encontramos um "sistema de direitos combinados", mas de uma maneira muito diversa daquele encontrado no Sertão. Nesse segundo caso, embora as noções de posse e propriedade não estejam ausentes, elas não marcam com a mesma força o acesso ao sistema de direitos em relação à terra, que se dá antes pelo compartilhamento de uma história comum, que vem associada para muitos a um pertencimento étnico. Trata-se de um trabalho comparativo que pretende trazer elementos que possam alargar a comparação para além das fronteiras nacionais, estendendo-a, particularmente, aos países de colonização portuguesa.

panel P43
Territorialidade, propriedade e posse da terra