Accepted paper:

Contribuições e desafios da interseccionalidade para os estudos de feminização da migração

Authors:

Camila Craveiro Queiroz (Centro Universitário de Goiás)
Carla Cerqueira (University of Minho)

Paper short abstract:

Propomos que o fenômeno da feminização da migração tenha sua compreensão ampliada a partir das contribuições e dos desafios do paradigma interseccional, considerando marcadores como os de etnia, classe social, estatuto migratório, nacionalidade e gênero como determinantes de assimetrias sociais.

Paper long abstract:

As experiências migratórias femininas são levadas em consideração a partir da ampliação dos estudos de gênero (Peres & Baeninger, 2012; Sant'ana, 2008), que influenciaram as análises de cunho economicista outrora dominantes no campo da Sociologia das Migrações. Por não serem consideradas sujeitos economicamente ativos, até a década de 1970, as mulheres figuravam apenas como coadjuvantes nos deslocamentos migratórios (Sant'ana, 2008). Mudanças sociais complexas, como a desestabilização da figura do male bread winner (Harzig, 2003), e a consequente feminização da pobreza (Sassen, 2003), contribuíram para análises mais profundas acerca da tendência da feminização da migração. Nesta comunicação partimos do nosso recorte da pesquisa de campo - baseado na análise de vinte Histórias de Vida realizadas com migrantes brasileiras a residir em Portugal - no qual observamos uma diversidade de razões para a decisão migratória, que extrapolam explicações racionais do tipo push and pull. Portanto, para uma maior compreensão do fenômeno da feminização da migração e no sentido de mostrar a diversidade de mulheres e vivências existentes, propomos que ele deva ser observado a partir do paradigma interseccional, que considera marcadores como os de raça/etnia, classe social, estatuto migratório e nacionalidade, para além, claro, da categoria gênero, como determinantes de assimetrias sociais. Ao considerarmos as subjetividades das migrantes, e ao contextualizar suas experiências a partir das pertenças sociais elencadas, aproximamo-nos do olhar das múltiplas realidades, o que nos permite questionar alguns mitos estabelecidos e ampliar o debate acerca das migrações femininas.

panel P071
Facts, myths and multi-realities on female migration